INOVAR Indicadores Resíduos
PAYT e Economia Circular

Ciente da importância da redução da produção de resíduos, encontrando também soluções para aumentar o seu tempo de vida ou promover a sua valorização, Guimarães tem ao longo dos últimos anos estabelecido parcerias várias que resultem no desenvolvimento de projetos de base científica.

Em Guimarães, 82% dos resíduos urbanos (RU) são enviados para a estação de tratamento mecânico e biológico. 62,4 kg/hab.ano é o valor da recolha seletiva de embalagens, valor superior à meta nacional para 2020 (47 kg/hab.ano), sendo que 390kg.hab/ano é a quantidade de RU produzidos per capita, abaixo da meta nacional para 2020 (410 kg/hab.ano). 46 é ainda a percentagem total de RU reciclados, sendo a meta de Guimarães para 2020 de 50%.

Em Guimarães existem três entidades responsáveis pela recolha de resíduos, o Município, a VITRUS e a RESINORTE. A recolha de RU tem uma cobertura de 100% da população, sendo executada por circuitos pré-definidos com horários e frequências distintas de acordo com os fatores geográficos e físicos da zona a recolher. A recolha seletiva de embalagens tem uma cobertura de 100% da população, sendo que 74% dispõem do serviço a menos de 200 metros. A recolha é efetuada através de ecopontos e no sistema porta-a-porta nas principais zonas comerciais. Guimarães dispõem ainda de um serviço gratuito de recolha seletiva porta-a-porta de resíduos volumosos, através de marcação prévia com os utilizadores, que são encaminhados para os 3 ecocentros. Paralelamente, um conjunto de projetos tem vindo a ser implementado e que favorecem os objetivos definidos pelas normas europeias.


Sistema Pay-As-You-Throw (PAYT)



Em 2016 foi implementado o sistema “
Pay As You Throw – PAYT” na zona classificada como Património Mundial da UNESCO. O projeto assente no princípio do “utilizador-pagador” foi objeto de uma dissertação de mestrado que venceu o “Prémio-Obra-Prima-Escrita-Original” em 2015, da qual foi publicado um livro, tendo sido ainda a sua implementação reconhecida em 2016 com uma menção honrosa, ambos pelo Green Projects Awards. Guimarães foi mesmo o primeiro e único município a nível nacional a adotar o sistema PAYT na sua totalidade. A recolha é efetuada no sistema porta-a-porta, com recurso a viaturas elétricas, através de mini-ecopontos, sacos pré-pagos para os resíduos indiferenciados, somente a estes é imputada a tarifa, e mini-contentores para os resíduos orgânicos. Este sistema teve uma excelente adesão, como pode ser comprovado com os resultados obtidos, com o acréscimo de 126% na recolha seletiva e redução de 34% na produção de resíduos, valores bastante superiores aos expectáveis no primeiro ano de implementação, onde se esperavam valores comparáveis aos restantes países europeus de redução de 30% de produção de resíduos e de aumento de 15% na recolha seletiva, verificando-se que os cidadãos melhoraram a sua atitude, através de boas condutas de gestão de resíduos, e que a adoção da política da recolha seletiva porta-a-porta foi fundamental neste processo.

+ PAYT - VITRUS


Programa de Economia Circular de Guimarães - G4CE



Guimarães tem implementado um conjunto de projetos que visam a redução de resíduos e a sua valorização, potenciando a economia circular.
Fique a conhecer alguns desses projetos:

  • - Projeto na área dos biocombustíveis projeto da CMG e CVR, nomeadamente a produção biodiesel iniciado em Julho de 2011, a produção de pellets de biomassa contendo resíduos industriais têxteis, poliméricos, e de couro, são outras das atuais áreas de intervenção do CVR e o projeto AGROGAS - Metanização de resíduos para a diversificação de recursos energéticos nos setores da agricultura, pecuária e agroalimentar.

        • - Desde 2011 que Guimarães promove à recolha seletiva das velas nos seus cemitérios, para aproveitamento da cera como matéria-prima no fabrico de cutelarias do nosso concelho, sendo que a receita obtida pela reciclagem deste material é convertida em bens alimentares destinados a projetos sociais.

  • - Desde 2016 que Guimarães tem instalado nas suas ruas o projeto Ecopontas e Papachicletes que são soluções inovadoras que visam a redução da acumulação de resíduos de pontas de cigarro e pastilhas elásticas no espaço público. Para além da vertente de redução do impacto ambiental, este projeto possui um cariz de I&D promovendo a valorização dos resíduos, reforçando a importância da economia circular. Nos primeiros seis meses de implementação, com a colocação de apenas oito dessas estruturas no centro da cidade, foram recolhidas mais de 45.000 pontas de cigarro e 5.000 pastilhas elásticas. Em 2016 estes equipamentos venceram o prémio Inovação Social Green Project Awards.
    Mais informações no sítio do Laboratório da Paisagem.

  • - Desde 2012, Guimarães promove todos os anos a campanha “Papel-por-Alimentos”, que visa a recolha de papel em troca de bens alimentares. A política ambiental do município traduz-se ainda na valorização e na rentabilização do potencial energético da lenha, resultante do abate e podas de árvores dos jardins públicos, sendo que só no ano letivo de 2016/2017, foram distribuídas 38 toneladas de lenha por 11 escolas do Ensino Básico do concelho, por um período de quatro meses, perfazendo uma média de 3,5 toneladas por estabelecimento de ensino.

  • - Projeto “CONSIGO” que cria um banco de oferta equipamentos usados para pessoas com mobilidade condicionada através da reutilização reaproveitamento desses equipamentos, os que não possuem qualquer recuperação são encaminhados para reciclagem.

  • - O Município promove o mercado de segunda-mão, disponibilizando para o efeito um local para a venda de produtos/artigos usados nos primeiros e terceiros domingos de cada mês, com cerca de 130 vendedores.